GABRIEL MARIANO

José Gabriel Lopes da Silva, mais conhecido como Gabriel Mariano, nasceu a 18 de Maio de 1928 na Ribeira Brava, na ilha de São Nicolau e morreu a 18 de Fevereiro de 2002 em Queluz, aos 73 anos de idade. Filho de Maria Lopes da Silva (1901-1962) e João de Deus Lopes Mariano (1891-1976), casou com Laura Annie Morbey Ferro Ramos Pereira (1934 - ?). Depois de estudar no Liceu Gil Eanes, no Mindelo, foi para Lisboa estudar Direito e obteve uma licenciatura. Lá frequentou também a Casa dos Estudantes do Império onde conheceu muitos "compatriotas" e outros revolucionários emergentes, incluindo Amílcar Cabral e Agostinho Neto, pelo qual foi arquivado pela PIDE. Em 1961, mudou-se para São Tomé e Príncipe como secretário do Registro, mas ao mesmo tempo foi também juiz substituto. Em 1963, regressou a Cabo Verde, na Praia, onde desempenhou as mesmas funções, mas a sua atitude, considerada subversiva pelas autoridades, levou-o a ser reafectado a Moçambique. Ele permaneceu lá até 1971. Depois foi transferido para Angola até à Independência, em 1975, quando regressou a Cabo Verde. Não ficou lá, mas partiu para Lisboa onde participou no desmantelamento da PIDE, depois para Mafra e Sintra, antes de se instalar definitivamente em Queluz.